dezembro 08, 2016

Crítica Série 3% - 1º Temporada

A criação de filmes e séries distópicas se tornou uma tendência. Sempre abordando um futuro onde a exclusão social se torna um extremo e a sociedade é dividida entre bons e maus. Assim como é visto em filmes como Elysium, Divergente, Maze Runner ou Jogos Vorazes e agora na primeira série nacional original da Netflix: 3%.

A história se passa em algum lugar no Brasil, onde, agora devastado, possui a maior parte da população vivendo no Continente, um lugar miserável em que seus habitantes sofrem com a falta de recursos e a pobreza. Ao atingirem  20 anos de idade, possuem o direito de participarem do Processo, onde são submetidos a testes que irão decidir sua única chance de ir para o Maralto, um local com a promessa de uma vida perfeita. Porém, apenas 3% serão aceitos. 

A série, criada por Pedro Aguilera e com direção geral de César Chalone, era, na verdade, uma web série em 2011. O episódio Piloto demonstrava uma ideia interessante mas que por não conseguir apoio, não teve continuidade. Apenas há pouco, surgiu novamente, com várias modificações.

Logo no início, a falta de naturalidade nos diálogos me incomodou. Principalmente por se tratar de uma produção brasileira, qualquer deslize nas falas é facilmente identificado. O problema se perpetua durante toda primeira temporada. Devido a isso, alguns personagens simplesmente não crescem e acabam pondo em risco a seriedade das cenas, que, muitas vezes, é salva pelas atrizes Vaneza Oliveira (Joana), Bianca Comparato (Michele) e o ator Rodolfo Valente (Rafael).

E, apesar de um pouco cansada de distopias que abordam os problemas de forma igual, 3% trouxe uma boa crítica e ao mesmo tempo, mais palpável, por se tratar de uma criação brasileira. Toca em pontos importantes como a pressão e todo processo de seleção para vestibulares e concursos públicos, que muitas vezes, são ineficientes e não avaliam a capacidade do candidato.

Paralelo a isso, algo que me chamou atenção positivamente na série, é a dualidade dos personagens. Ora julgamos certo personagem como o bonzinho, ora, o julgamos como o vilão. Além de todo suspense acerca do Maralto, que nos é passado apenas como o local ideal para se viver feliz, mas seria essa a verdade?

Além disso, nos traz o questionamento do que realmente é justiça e igualdade. Como definir quem é e quem não é merecedor? Como o sistema pode definir isso? Como agir de forma justa com todos?

Independentemente de problemas produtivos, e de roteiro, onde algumas informações são insuficientes ou perdidas, 3% representa um grande avanço no audiovisual brasileiro e possui uma história poderosa capaz de traçar bons caminhos.

novembro 17, 2016

O que comprar na Black Friday?


A Black Friday já se tornou o dia mais esperado de novembro para aqueles que adoram comprar. A ideia é criar na terceira sexta do mês um dia cheio de super descontos. 

É a época perfeita pra conseguir riscar vários itens da wishlist, e ainda aproveitar pra comprar os presentinhos de Natal por um preço mais acessível. 

É claro que a Loja Maggie,yeah! não iria ficar de fora! Toda a loja está com até 70% de desconto e frete grátis em compras acima de R$150,00. E o melhor de tudo: A promoção dura 10 dias!! 

Do dia 15 ao 25/11 você pode comprar suas bijus favoritas e com o menor preço! <3

Da uma olhada em algumas das melhores ofertas:

outubro 27, 2016

Jeans + Bota dourada

Eu amo botas e amo ainda mais botas douradas e brilhantes. E o calçado já se tornou trend nos street style. 

Nesse look, coloquei a bota que comprei na Renner, com calça jeans boyfriend e uma blusa soltinha. É um look fresco e perfeito pro verão. Apesar de simples fica super fashion com a bota dourada. 

Dá uma olhada:



outubro 21, 2016

Blazer branco + Short jeans


Adoro blazer! E adoro ainda mais o ar chiquinho que ele dá em um look mais despojado. É exatamente o que fiz nesse look. Misturei o meu amado short jeans de cintura alta com uma blusa soltinha e um tênis branco. 

A minibag é uma das minhas favoritas e as bijus completaram o look.

PS: As bijus estão disponíveis na minha loja. Veja aqui.






outubro 19, 2016

Filmes pra pensar sobre o futuro

A possibilidade de descobrir o futuro e se imaginar nele é sempre algo tentador. Talvez esta seja a razão para o grande sucesso entre filmes de ficção científica: mexer com nossas concepções e nos questionar. 

É imaginar o futuro para conseguirmos modificar nossas concepções e erros no presente. Sendo assim, cada vez mais os filmes de ficção científica demonstram um futuro com escassez de recursos naturais, ainda mais desigualdades sociais, destruição e mortes. 

É nosso papel mudar a realidade. 

Doze macacos
(Twelve Monkeys)
Diretor: Terry Gilliam  •  Gênero: Ficção científica, suspense  •  Ano: 1996
Em 2035, James Cole aceita a missão de voltar ao passado para tentar decifrar o mistério sobre um vírus que matou grande parte da população do mundo. Ao voltar é tomado como louco e tenta provar sua sanidade a médica Kathryn Railly, que é sua esperança para salvar o futuro. É um filme que me fez pensar sobre as atitudes negligentes da população acerca de temas de escassez de água, vírus perigosos, destruição da natureza e tudo que leva a nossa própria extinsão. É apenas em momentos estremos em que nos damos conta da realidade e pensamos como poderíamos ter feito diferente. Doze Macacos é perfeito para nos lembrar que devemos agir agora para que não nos arrependamos no futuro.


Gattaca-Experiência genética
(Gattaca)
Diretor: Andrew Niccol  •  Gênero: Ficção Científica • Ano: 1997

O filme se passa em um futuro no qual os seres humanos são criados geneticamente em laboratório com todas as preferências dos pais. As pessoas concebidas biologicamente são chamados de "inválidas". Vicent Freeman é um "inválido" que consegue um emprego numa corporação, mas vai precisar esconder, a qualquer custo, a sua verdadeira origem. Gattaca demonstra uma ficção não distante de se tornar uma realidade. Cada vez vemos mais avanços no campo da genética, que nos trás o questionamento: onde iremos parar? Podemos ter o poder de criar vidas perfeitas?


Expresso do Amanhã
(Snowpiercer)
Direção: Joon-ho Bong   •  Gênero: Ficcção científica, Drama  •  Ano: 2015
Depois de um experimento para impedir o aquecimento global falha, uma nova era do gelo toma conta do planeta terra. O pequeno grupo que sobreviveu agora vive a borda de um imenso trem chamado Snowpiecer. Os vagões do trem dividem as pessoas em classe sociais, onde os mais pobre encontram-se no último vagão, vivendo em condições extremamente precárias. O Expresso do Amanhã demonstra um determinismo extremo, que não está longe da nossa realidade atual. Dessa forma, os ricos não enxergam além de si próprios e os pobres não conseguem enxergar além da sua própria classe. Cria-se, assim, uma ideia maniqueísta da massa contra o sistema. 

Avatar
(Avatar)
Diretor: James Cameron  •  Gênero: Ficção científica, Aventura  •  Ano: 2010 
No filme, Jake Sully é selecionado para participar do programa Avatar, em que viaja para Pandora, um planeta distante em que se encontra diversas formas de vida desconhecidas. O local é lar dos Na'Vi, seres humanóides que possuem uma conexão muito forte com a natureza local. Jake encontra, então, Neytiri, uma Na'Vi que o serve de tutora para sua ambientação na civilização alienígena. Apesar das milhares de críticas que ouvi acerca dos diálogos rasos e clichês, Avatar me fez sim, pensar em algo importante: a natureza destrutiva e violenta do ser humano. Hoje, com todos os problemas de aquecimento global sempre ouvimos a buscar por um outro planeta semelhante a terra, já que ao invés de cuidarmos do que vivemos, passamos a procurar por outro para explorar. Avatar mostra como o ser humano se considera um gigante mesmo diante toda a imensidão da natureza e das forças externas.