julho 25, 2015

O que me inspira



-E o que você costuma fazer? -Me perguntou. 

Um dia desses, me sentei em um banco e me deixei observar ao redor. Vi uma garotinha, talvez entre seus seis ou sete anos. A mãe a deixou na porta do colégio e quando já ia embora, a menina correu e puxou seu braço para um último abraço. A cena, mesmo que simples, me fez sorrir. As palavras começaram a surgir e eu sabia que já tinha algo novo para escrever. 

Talvez não sejam todos que vão entender. Talvez, alguns achem bobagem ou perda de tempo esse tal vício. É sentir o coração apertado e os sentimentos confusos. Gastar horas pensando em um verso que soe bem. Enquanto ele está aqui dentro, inquieto e angustiado. 

Já me diziam desse meu jeito estranho, da minha maneira de sempre complicar. Mas por baixo desse óculos, eu tenho um olhar com as minhas histórias pra contar. No meu mundo eu me aventuro, eu escrevo prosa e verso, ouvindo músicas antigas. 

Eu aprendi que pra escrever é preciso deixar que as palavras conheçam sua história, seus amores e suas angústias. É acreditar no abstrato e coloca-lo numa folha. Os filmes que vejo, os livros que leio, o que eu acho, o que vejo no mundo. 

Tem gente que coleciona tampinha de garrafa, selos ou conchas. Tem aqueles também que colecionam contas pra pagar, trabalhos a fazer ou lugares para ir. Outros colecionam sorrisos, lembranças ou lágrimas. Eu coleciono palavras, das mais simples. E as guardo em folhas de um caderno na estante, que sabem tudo sobre meu coração. Eu sou feita das coisas que me inspiram.

E talvez, essa seja minha essência. Imortalizar meus sentimentos e meu amor por meio de palavras. Talvez, esse seja o jeito de mudar o mundo.

-Eu escrevo. - Respondi. 



3 comentários / COMENTE TAMBÉM

  1. Esse texto simplesmente me descreveu! Também amo escrever e sempre escrevo sobre coisas simples, que ocorrem todos os dias e que para a maioria das pessoas não é nada demais. Amei seu texto, de verdade <3

    https://bloggeekprincess.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Crônica inspiradora, sensível e com a capacidade de nos fazer querer escrever também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Nelson! Sua opinião conta muito!

      Excluir