dezembro 05, 2015

Contos da Maggie: Golaçooo!!


Sábado era o dia do campeonato de futebol. O que ele já estava há semanas anunciando.

-Você vai né? –Perguntou pela milésima vez.

-Vou, já disse. –Respondi.

Certa vez ele me disse que ficava nervoso quando o viam jogar. E se tinha uma coisa que ele gostava de fazer era ficar chutando aquela bola de um lado pro outro. O suor pingando, o sol no rosto e os olhos concentrados.

No dia tão esperado, pedi que fosse na frente, chegaria um pouco atrasada. Avisei logo cedo, porque sabia que a partir do início do campeonato, não poderíamos nos falar. Era tarde demais quando me dei conta de que ele não tinha me avisado onde ia jogar. Parei de me arrumar me perguntando para onde iria. Campeonato. Ok. Mas onde?

Saí bolada.

‘’Já pedi que me avise as coisas com antecedência. Se queria que viesse, pelo menos me desse o mínimo de instruções pra chegar. ‘’ Pensei, já planejando toda a bronca. Tinha que ir pra algum lugar, então decidi ir pra onde normalmente via os treinos do futebol.

-Oi, é aqui que tá tendo o campeonato de futebol?

-Né não, moça. Não sei pra onde, mas mudaram o lugar.

‘’Você é irresponsável, distraído e agitado. Não acredito que não lembrou de me avisar onde seria o jogo. Parei tudo que estava fazendo pra você me fazer dar voltas pelo bairro tentando adivinhar pra onde ir.’’ Acrescentei ao pensamento. Dessa vez saí boladíssima.

Liguei pra sua mãe, seu pai. Ninguém atendia. E liga de novo. De novo. Calma. Ligaram de volta. Finalmente!

-Oi, querida, já tá vindo? Já estão jogando! -Perguntou a mãe dele.

-Ele não me avisou onde é o jogo. Achei que seria onde ele treina, mas não tem ninguém.

-Ai meu deus! Estamos naquele clube que viemos uma vez, lembra? Mudaram tudo pra cá. Vem logo, estamos te esperando.

Entrei no carro pisando forte e fui até o lugar dito.

‘’Sabe o que eu deveria ter feito?! Voltado pra casa!”. Pensei assim que entrei no clube. Isso que eu iria dizer assim que o visse. Já perto do campo, logo o identifiquei. Meu sangue fervendo e a vontade era de entrar no campo e dizer poucas e boas.

Nossos olhos se cruzaram e eu vi a felicidade nos dele ao me ver. Um brilho tão forte no olhar que iluminou todo o campo. Um sorriso gigante se abre em seu rosto já vermelho do sol forte que fazia, enquanto o suor escorria pelo rosto.

Ele corria feito louco, desviava de todos os outros jogadores. O gol na minha direção e ele vinha com toda habilidade, os pés rápidos. A plateia levanta, todos vibrando. Gritos e mais gritos. Ele vai….

‘’E é GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL!’’ Grita o narrador.

-Essa é pra você!! –Ele grita, mandando um beijo de longe. Os dentes todos a mostra. Todos comemoram e eu fico ali parada.

Esqueci da bronca, ou de qualquer possível briga. Abro um sorriso. E sinto todo aquele amor bater forte no peito. A raiva se desfez. O sangue esfriou. O coração se acalentou. Eu solto um suspiro. Aquele era seu dia, como poderia tirar isso dele?!

O que posso dizer, foi como se olhasse aqueles olhos cor de infinito pela primeira vez, e me apaixonei de novo. Sentei e torci. Torci pelo meu amor.

Nenhum comentário

Postar um comentário